Webmail    |    Fale Conosco

Quem Somos    |    Filie-se

  • 30 Setembro 2020

Centrais mobilizam trabalhadores em defesa das estatais e servidores

Por RBA

São Paulo – As centrais sindicais realizam nesta quarta-feira (30) atos em pelo menos 13 capitais do país para defender as empresas estatais e os servidores públicos. A mobilização denuncia os prejuízos que o governo de Jair Bolsonaro causa com seus projetos de privatização de estatais estratégicas para o Brasil. E tem também como alvo a reforma administrativa, que ataca servidores e sucateia o serviço público.

Os atos das centrais em defesa das estatais e servidores fazem parte da Campanha Nacional em Defesa das Estatais e do Serviço Público, organizada pelas centrais. As mobilizações são virtuais e presenciais, com cuidados para evitar a propagação do novo coronavírus.

Os brasileiros, em especial os trabalhadores mais pobres, já sofrem com a falta de estrutura e de dificuldade de acesso a serviços públicos como em saúde e  seguridade social. Postos, hospitais e agências do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) trabalham com equipamentos velhos e sem reposição de servidores que se aposentaram ou morreram, ou mudaram de área de atuação.

Os trabalhadores também são punidos com o aumento de tarifas básicas, como as de energia elétrica, gás, gasolina e outros serviços que estão sendo vendidos para a iniciativa privada, que visa apenas ao lucro, avaliam as centrais.

O projeto de governo de Bolsonaro é bem definido, ele quer entregar o patrimônio brasileiro ao setor privado, desmontar o serviço público de tal modo que, daqui a pouco, os brasileiros terão de pagar por tudo, analisa o secretário de Administração e Finanças da CUT, Ariovaldo de Camargo. “É um desmonte total que vem pelas privatizações e pela reforma Administrativa, que na verdade, é uma reforma de Estado”, complementa.