Webmail    |    Fale Conosco

Quem Somos    |    Filie-se

  • 09 Novembro 2016

Enfermagem do Souza Aguiar denuncia déficit de RH e pede fim da sala de reanimação

Na manhã desta quarta-feira, 9 de novembro, os profissionais de enfermagem do Hospital Souza Aguiar se concentraram na porta da unidade, para debater os graves problemas que os afligem. Depois acompanharam a presidente do SindEnfRJ, Mônica Armada,  em um encontro com o diretor do hospital, o médico Antônio Araújo.

Os enfermeiros tiveram, então, a oportunidade de relatar ao diretor a situação limite que vivem no dia a dia de trabalho. Com a falta de pessoal, cai vertiginosamente a qualidade do atendimento de saúde. E os pacientes e seus familiares acabam transferindo sua insatisfação para a enfermagem, categoria que está na ponta do atendimento. As grosserias e agressões verbais são cada vez mais frequentes.

O diretor, depois de ouvir atentamente as queixas, se comprometeu a realizar reuniões periódicas com a categoria. A primeira já está marcada para o dia 7 de dezembro. De imediato, Antônio Araújo aceitou a proposta de fechar a sala de reanimação criada antes das Olimpíadas, pois não há na unidade profissionais de  enfermagem em número suficiente para fazê-la funcionar adequadamente.

Ele disse que conversará sobre o assunto com o secretário de Saúde do município, Daniel Soranz. Na semana que vem, Mônica Armada ficou de procurá-lo, para cobrar a adoção das medidas necessárias à concretização do fechamento da sala.

 

WhatsApp-Image-2016-11-09-at-144726
WhatsApp-Image-2016-11-09-at-144707
WhatsApp-Image-2016-11-09-at-144745